Google+ ABS Gospel: Aparentes Contradições

Ícones Sociais

rss feed facebook twitter google plus email

10 de mar de 2011

Aparentes Contradições

"Porque, se Abraão foi justificado pelas obras, tem de que se gloriar, mas não diante de Deus."

"Porventura, o nosso pai Abraão não foi justificado pelas obras, quando ofereceu
 sobre o altar o seu filho Isaque?"
(Romanos 4:2 / Tiago 2:21)

Na Bíblia, existem declarações aparentemente contraditórias, mesmo ao leitor mais bem intencionado. Os dois versículos acima são um exemplo disso. Mas quando buscamos compreender o contexto da passagem, esses supostos paradoxos se desfazem.

Todos os seres humanos são pecadores. Por isso, devido a seus atos pecaminosos, não podem permanecer na presença de Deus. Só podem ser salvos mediante a fé no Senhor Jesus Cristo. O patriarca Abraão é um exemplo de tal verdade: A Palavra de Deus diz que "creu Abraão em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça" (Romanos 4:3). Para nós isso corresponde à fé na obra consumada de Jesus, "O qual por nossos pecados foi entregue, e ressuscitou para nossa justificação" (Romanos 4:25).

O apóstolo Paulo, autor da epístola aos Romanos, quando fala sobre Abraão deixa claro que por melhores que fossem suas obras, ele jamais poderia se orgulhar delas diante de Deus. Mas nessa epístola, Paulo está se referindo às obras da lei, ou seja, às obras produzidas pelo esforço humano para tentar conseguir o favor de Deus.

Por outro lado, quando Tiago fala das obras, está se referindo às obras que a fé produz, às manifestações visíveis na vida de alguém que creu nas promessas e na Palavra de Deus. Ele afirma que a própria fé sem obras visíveis é "morta", pois não passa de um conhecimento meramente intelectual.

Abraão "foi justificado pelas obras", porque eram obras que provinham de sua fé em Deus, e não da observância de ritos ou costumes.